Twitter

CUT MS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > A CUT NACIONAL EMITE NOTA EM SOLIDARIEDADE À FAMÍLIA DE NÁDIA SOL

A CUT Nacional emite nota em solidariedade à família de Nádia Sol

11/03/2019

O documento também critica o aumento do feminicídio no Brasil

Escrito por: CUT Nacional

NOTA DE SOLIDARIEDADE 

Toda solidariedade à família da professora Nádia Sol Neves Rondon, do Mato Grosso do Sul

A CUT Brasil vem a público demonstrar sua solidariedade à família de mais uma vítima de feminicídio Mato Grosso do Sul. A FETEMS, em nota, já alertou que é o segundo caso só neste ano só na educação.

A Central Única dos Trabalhadores, em nome da Secretaria Nacional da Mulher Trabalhadora, vê com preocupação o aumento de mortes por Feminicídio. Só em janeiro deste ano, 126 mulheres foram, além do registro de 67 tentativas. 


Nádia Sol Neves Rondon era trabalhadora da rede municipal de Corumbá/MS e tinha 38 anos. 

Segundo o jornal Correio da Cidade, do Mato Grosso do Sul, seu ex-companheiro, Edevaldo Costa confessou o crime e disse que não aceitava o fim do relacionamento. Nádia deixou duas filhas. 

Ela foi assassinada em sua casa no último dia 9 de março, um dia depois do Dia Internacional da Mulher, no qual milhares de mulheres foram às ruas, também, pedindo o fim da violência contra a mulher, e no dia em que a Lei do Feminicídio completou 4 anos.


A criação de uma lei específica no Brasil seguiu recomendações de organizações internacionais como a Comissão sobre o Status da Mulher (CSW) e o Comitê sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher (CEDAW), ambos da ONU. Além disso, a tipificação deste crime foi uma reivindicação de movimentos de mulheres. Mas é preciso mais e os governos têm inteira responsabilidade com esse tema. 

Dados recentes (2019) apontam que o Brasil é o 5º país em morte violentas de mulheres no mundo e o Estado de Mato Grosso do Sul, ocupa o 3º. lugar em feminicídio dentre todos os Estados brasileiros.

A CUT luta incansavelmente pelo fim da violência contra as mulheres e exige das autoridades em Mato Grosso do Sul que se aplique a pena de reclusão, como prevê a lei, e que os governos construam políticas públicas especificas para o problema, que só tende a crescer caso este governo continue ignorando os dados e não invista em políticas públicas de combate à violência contra as mulheres. Ainda mais com a liberação do porte de armas.

 

#PeloFimDaViolênciaContraAsMulheres


#ViolênciaContraMulherNãoÉOMundoQueAgenteQuer


Junéia Batista
Secretaria Nacional da Mulher Trabalhadora da CUT 

Vagner Freitas 
Presidente da CUT

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
INSTITUCIONAL
SECRETARIAS
ESTRUTURA

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DO MATO GROSSO DO SUL
Travessa Coronel Edgarde Gomes, 49 | São Tomé | CEP 79002-339 | Campo Grande | MS
Fone: (55 67) 3325.9406 / 3325.8378 | www.cut-ms.org.br | e-mail: cutms.ms@hotmail.com